Coleira e placa de identificação

Importância da Placa de Identificação

Quando encontramos um cão ou gato na rua usando uma coleira, mas caminhando sem ninguém por perto, a primeira coisa que pensamos é que se trata de um animal perdido mas com dono. No entanto, infelizmente o mais frequente é que, quando finalmente abordamos o animal para verificar se tem uma identificação visível, a coleira não tenha nenhuma placa de identificação com os dados do animal ou do seu proprietário. Perguntamo-nos então afinal para que é que o dono lhe pôs uma coleira se nem sequer se preocupou em lhe adicionar uma coisa tão simples e barata quanto uma placa de identificação?

De facto, o uso da placa é fundamental para rapidamente encontrar os proprietários dos cães e gatos extraviados, razão pela qual aconselhamos vivamente o seu uso como acessório, 24 horas por dia, 7 dias por semana, pois para os patudos fugirem e irem à aventura, não há hora marcada. Isto mesmo para os animais que moram em apartamentos, pois nunca sabemos quando ele(a) vai fugir por uma porta da rua mal fechada.

Não se esqueça que a placa de identificação será a primeira coisa visível para a pessoa que encontrar o seu patudo e, consequentemente, a maneira mais simples de ele rapidamente voltar para si, por isso não facilite. Você pode pensar que o seu cão tem chip e que isso basta para ele lhe ser devolvido, mas não se esqueça que, infelizmente, a grande maioria das pessoas não vai pegar no seu animal e levá-lo a um veterinário ou às autoridades para, através de um leitor de chip, descobrir quem você é. Agora se na coleira tiver uma placa com o seu telefone e o nome do animal, isso facilita imenso e, se tudo correr bem, cedo receberá no seu telemóvel a feliz notícia que o seu cão/gato foi encontrado e que está ansioso por voltar a casa.

Não se esqueça que a placa de identificação deve ter sempre gravado, pelo menos, duas coisas: o nome do animal e o contacto telefónico do dono (devidamente atualizado). Como dados adicionais, poderá também colocar a sua morada e, caso o cão tenha algum problema de saúde, a doença (ex: Marley – cardíaco ou Gigi – diabética).

FAZER UM DONATIVO
Toda a ajuda é bem-vinda!